terça-feira, 14 de Fevereiro de 2012

O ADULTO NO ESCUTISMO

O ADULTO NO ESCUTISMO

Não sendo as finalidades Educativas fórmulas mágicas, para atingirem o seu pleno
valor pedagógico, necessitam de um ritmo, um doseamento, um desenvolvimento,
que não pode ser acção das nossas crianças, dos nossos adolescentes ou dos nossos jovens. Não há educação possível sem um certa relação com um adulto – É essa a razão de ser da presença dos Adultos no Escutismo.
A vida de uma criança adolescente ou jovem, é pobre em confronto com os adultos, o Pai sai de manhã até à noite «para o seu trabalho, para a fábrica, ou para o escritório» e este período de tempo para a criança adolescente ou jovem, um mistério. Frequentemente o adulto que ele encontra, esmagado por uma sociedade altamente hierarquizada, quer parecer alguém aos seus olhos. Tem tendência para considerar as crianças, os adolescentes ou os jovens inferiores a ele, e o diálogo é completamente falseado.

Os adultos que as crianças encontram regularmente, estão muitas vezes em relação a elas numa situação que torna difícil uma verdadeira discussão, uma certa cumplicidade, pela qual a criança o adolescente ou o jovem teria realmente a impressão de estar a comunicar com um adulto. No entanto, a criança o adolescente ou o jovem tem necessidade dessa comunicação, gosta dela, e ela desenvolve-o, exercitando as suas capacidades de raciocínio ou de luta, permitindo-lhe as suas convicções ou pôr-se a si próprio em causa.

O Escutismo propõe a homens e mulheres serem este adulto que aceita ser plenamente ele próprio, mesmo vivendo em relação com as crianças, os adolescentes ou os jovens. Para isso não se trata de saber tudo, de ter feito estudos complicados, de ser um especialista em pedagogia, não. Trata-se de algum modo de ser um homem/mulher – criança como dizia Baden Powell, quer dizer, de ser plenamente homem/mulher, mas também em comunhão com as crianças, os adolescentes ou os jovens. Ter a capacidade de maravilhar-se, jogar, descobrir, vibrar, lutar, saber estar com eles, no meio deles e não ao lado, acima ou estranho ao seu mundo.

Baden Powell disse-nos acerca do Dirigente/Educador:

1. Deve possuir em si o espírito de um rapaz, precisa de colocar-se espontaneamente ao mesmo nível dos rapazes com quem contacta.

2. Deve compreender os principais traços psicológicos das diferentes fases da vida de um rapaz.

3. Deve ter mais atenção a cada um dos rapazes do que ao seu conjunto.

4. Deve desenvolver entre os rapazes um espírito de unidade, para alcançar os melhores resultados.
RESPONSABILIDADES DE UM DIRIGENTE/EDUCADOR DO C.N.E.

«Hoje educar é transformar o mundo» o “Projecto Educativo do Escutismo” propõe-se exactamente contribuir para a educação das nossas crianças, dos nossos adolescentes e dos nossos jovens, para que estes sejam os “Homens Novos” que Jesus Cristo nos pediu que fossemos, e possam assim transformar o mundo, tornando-o mais justo, maia fraterno e mais solidário.

A grande responsabilidade de um Dirigente/Educador do C.N.E. é, pois, a de ser o principal responsável pelo êxito da implementação e desenvolvimento do “Projecto Educativo do Escutismo”, isto porque lhe é exigido:

Disponibilidade física e interior.
– Disponibilidade física, porque não há educação à distância; é necessária a sua presença efectiva sempre que há Jogo Escutista e isso acontece todos os fins de semana. – Disponibilidade interior, porque em educação é preciso ouvir as nossas crianças, os nossos adolescentes e os nossos jovens, e isso não tem hora marcada, terá de ser quando o Dirigente/Educador é solicitado para ouvir.

Exemplo/Testemunho pessoal.

– o Dirigente/Educador é sempre um modelo, uma referência, e tem de ser um modelo e uma referência do cumprimento da Lei, de levar uma vida de acordo com os valores Escutista e da Fé Católica. – o êxito na educação dos seus escuteiros vai depender em grande parte disso.

Intencionalidade educativa, sempre que está com os seus escuteiros a jogar o “Jogo Escutista”, ou em outras situações.

Conhecimento dos principais traços psicológicos das diferentes fases da vida dos jovens com quem trabalha, para poder perceber objectivamente se as suas reacções e ou atitudes, são naturais no contexto, ou saem fora desse mesmo contexto.

• Espírito aberto para aprender nunca ninguém sabe tudo a respeito do que quer que seja a vida de Dirigente/Educador, tem de ser uma aprendizagem permanente.

Amor e apego à juventude não é possível levar a bom porto a missão de educar, se não se estabelecer uma certa empatia com os nossos escuteiros e isso só é possível se gostarmos de todos eles.

DEVERES DE UM DIRIGENTE/EDUCADOR DO C.N.E.

Acompanhar os seus escuteiros, caminhar com eles, esforçar-se por compreender e falar as suas próprias linguagens (não se trata de “macaquear” as expressões que eles empregam, mas de compreender o que subentende tal pergunta, tal observação ou tal atitude, etc.), escutar os seus sonhos, os seus projectos, as suas necessidades profundas.

Ter mais em atenção cada um dos seus escuteiros do que o seu conjunto.

Descobrir as principais capacidades e aptidões dos seus escuteiros, apoiar o seu desenvolvimento e fazer com que essas aptidões sejam objecto de crescimento pessoal e sejam também colocadas ao serviço do grupo.

Promover o espírito de corpo e de unidade entre os seus escuteiros.

Descobrir e fazer sair de cada escuteiro o que tem dentro de si, depois aperceberse do que é bom e desenvolvê-lo, excluindo o que é mau. – Existe sempre pelo menos 5% de bom mesmo no pior carácter.

Levar os seus escuteiros a descobrirem Jesus Cristo no desenvolvimento do Jogo Escutista e na vivência pessoal da Fé Cristã, para fazerem caminho no sentido de serem os “Homens Novos”.

É esta dádiva, é esta a missão que é pedida a um Dirigente/Educador do C.N.E.. É uma missão de grande responsabilidade, de um grau de exigência bastante elevado, mas é também e acima de tudo, uma missão aliciante, que traz a cada Dirigente/Educador uma sensação de bem estar, de felicidade, de dever cumprido,……, pela contribuição objectiva para a construção de um mundo melhor em resposta aos apelos de Baden Powell e de Jesus Cristo.


FONTES DE INFORMAÇÃO
Baden Powell Hoje.
Auxiliar do Chefe Escuta.

Escutismo para rapazes.

Exortação Pastoral – Escutismo uma Escola de Educação.